VEREADORES VOTAM CONTRA O POVO NA CÂMARA !

  Segunda-feira dia 11 de março de 2013, foi um dia triste para a democracia e a política de Bandeirantes, neste dia, os vereadores votaram contra a presença do povo nas reuniões da câmara de vereadores, ao definir que as sessões serão às 17 horas, ou seja, em um horário que torna impossível a participação […]

 VEREADOBAND

Segunda-feira dia 11 de março de 2013, foi um dia triste para a democracia e a política de Bandeirantes, neste dia, os vereadores votaram contra a presença do povo nas reuniões da câmara de vereadores, ao definir que as sessões serão às 17 horas, ou seja, em um horário que torna impossível a participação popular.

Como toda pequena cidade do interior, Bandeirantes tem sua força econômica apoiada nos serviços, no comércio e na agricultura, atividades estas que terminam sempre depois das 18 horas.

O novo horário tira de grande parte da população a oportunidade de acompanhar os trabalhos da câmara, de ver como seu vereador está trabalhando.

OS FATOS

O vereador DR. Eduardo do Espírito Santo, pensando em facilitar a presença do POVO na CASA DO POVO, deu entrada em um projeto para que as sessões da câmara fossem às 19 horas.

Por outro lado, o vereador Claudemir Pedro, mais conhecido popularmente como MI , propôs um projeto que o horário fosse mudado para as 17 horas, isso porque segundo ele atendia a pedidos de estudantes de direito e funcionários da prefeitura. Esse é de fato um motivo que justifica a emenda do nobre edil, disse também que qualquer que seja o horário, o público é sempre o mesmo.

OPINIÃO

Entendemos, que a casa do povo deve buscar sempre ser o mais acessível ao maior número de pessoas. Isso independe do número médio de assistentes.

O que se busca é a oportunidade de que as pessoas, quando tiverem o interesse de assistira aos debates legislativos, possam ir sem empecilhos. Um exemplo seria a classe dos trabalhadores no comércio terem a oportunidade de verem assuntos relativos aos seus interesses serem debatidos e votados, outro seriam os agricultores, que, certamente teriam tempo para deslocarem –se para a cidade, e poderíamos, lembrar outras categorias, pois a lista é tão grande quanto o número de cidadãos, pois no fundo, todos temos o direito de poder ir assistir aos trabalhos dos nossos vereadores.

Conclui-se que o horário das 17 horas distancia o povo dos vereadores, impede a sociedade de acompanhar e fiscalizar o trabalho de seus representantes, ou seja, é uma atitude anti-democrática.

O que temem os vereadores que não querem o povo na câmara?

Porque o povo na câmera incomoda ?

Os mesmos que foram bem vindos em nossas casas, agora nos excluem da “SUA” casa? Lembrem-se sempre que a câmara é a CASA DO POVO !

Esperamos que a câmara reveja esta decisão e volte a ter suas portas abertas para TODA população em um horário bom para todos.

VOTARAM PELO HORÁRIO DAS 17 HORAS

Francisco de Assis Goulart Barbosa (CHIQUINHO DA IDENTIDADE), Jailton de Jesus Rocha (BRANCO DO PERFUME), Claudemir Pedro (MI), José Roque de Moraes (ROSINHA), Paulo Aparecido Ferreira Barbosa (PAULINHO SERRALHEIRO), Valbeti Aparecido Palugan (VALBETI) Vanderlei Ferreira da Cunha (DEI).

VOTARAM CONTRA O HORÁRIO DAS 17 Horas

Raphael Cyríaco Gomes Chaves (XUXA), José Fernandes da Silva (ZÉ FERNANDES), DR. Luiz, Marcos Antônio da Silva (MARQUINHOS DA LALUP), Eduardo José Serra do Espírito Santo (DR. EDUARDO)

Por ser presidente a vereadora Sonia Regina Zambone não vota, a menos que haja empate na votação!

por Paulo Salle

2 comments

  1. Paulo Rensi

    Dr. Paulo Salle, a sua afirmação de que a câmara de vereadores é a “CASA DO POVO” é uma utopia.
    Com um olhar critico e, que vivenciou as mudanças no espaço físico da câmara após o aumento do número de vereadores votado em 2012, de 9 para 13 vereadores. A área disponibilizada ao “povo” foi diminuída para ceder lugar aos “NOBRES EDIS”. É só ir em loco e verificar a posição da cerca que divide o espaço e ver os furos antigos na parede e no chão onde era fixada por parafusos. Ah! O discurso para o aumento do número de Edis , era que haveria um maior número de pessoas para atender o povo. O trabalho do vereador é assistencial? Ou a sua função é legislar e fiscalizar o Executivo? Quanto os projetos de leis que os vereadores produzem é só para nominar ruas, ou para conceder titulo de cidadão a pessoas que “eles” entendem como ilustres. Em 2014 fizeram um trabalho para modificar a Lei Orgânica do Município. Qual foi a mudança implementada? Foi mudada a Lei autorizando a reeleição da Presidência da Câmara, atendendo a Democracia! Isso é Democracia? Reeleição é Democracia?
    Na véspera das novas eleições municipais de 2016 e, atendendo as necessidades prementes de redução de gastos no setor público, acho que o Sr., uma pessoa que é formadora de opinião, poderia lançar uma campanha na redução do número de vereadores compatível com o seu trabalho de legislar e fiscalizar, no histórico dos últimos 20 anos de trabalhos na câmara. Seriam verificados quantos projetos de leis foram apresentados pelos Edis, qual foi seu impacto na melhoria de vida para a comunidade e, para finalizar quantos projetos de leis enviados pelo Executivo foram votados no período, concordando e discordando do Executivo. AÍ DÁ PARA TER UMA IDEIA SE DE FATO HÁ FISCALIZAÇÃO !!!

  2. Paulo Rensi

    AH! NÃO TOQUEI NO VALOR REMUNERATÓRIO DO SUBSÍDIO, POIS ESSE É UM ASSUNTO QUE FAZEM OS EDIS IREM ÀS ALTURAS !
    O ganho do vereador chama-se SUBSÍDIO e não SALÁRIO, pois o trabalho de um vereador não é visto como um trabalho que exija tempo integral. Daí o pagamento ser um SUBSÍDIO !!
    Inclusive eles já votaram um aumento para eles e o Prefeito, o vice-prefeito, secretários.
    A CRISE É DOS OUTROS !!! PARA ELES NÃO TEM CRISE !!!
    Está na hora de faze-los descer ao mundo real do “povo”.
    VAMOS LIMPAR O NOSSO QUINTAL!!!
    Se cada município se tornar “limpo” o Brasil se tornará um País “limpo”, ou seja livre do patrimonialismo, populismo e outros “ismos” que infelizmente o “povo” é a maior vitima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *